Blog Archive

Datos personales

Minha foto
Ester Corrone
Minas Gerais, Brazil
Escritora, blogueira de comportamento, moda e life style, apostando nas palavras e no que elas descrevem. Consultora de Imagem pela Closet Inteligente Consultoria (2013), Fotógrafa pela Escola de São Paulo e UFMG (2014), web designer por aspiração. Atualmente, cursando Marketing pela Universidade Anhembi Morumbi. Desenvolvedora de projetos e estratégias virtuais para a Closet Inteligente juntamente com Patrícia Marques, instrutura de cursos, atua nas mídias sociais e na produção de eventos da empresa. Empreendedora do ateliê Livre-se, um ateliê de artesanato com produtos inspirados em livros.
Visualizar meu perfil completo
29 de novembro de 2010

A morte é início...


Para muitos a morte é o fim. Para mim não, ela é apenas o início.
O início de uma promessa que meu lindo Jesus me fez a muito tempo, e que eu aguardo ansiosamente a execução;
Início do daquilo que me impulsionou a viver todos os dias intensamente para Deus;
Início da minha paz perfeita;
Início do abraço mais apertado e mais importante de todos os abraços que um dia eu pude receber;
Início da minha tão esperada colheita;
Início da alegria eterna que Jesus prometeu;
Início da segurança desejada desde o primeiro passo que dei ainda quando criança;
Início das palavras mais bem ditas;
Início dos dias mais cheios pela graça de Deus;
Início da perda do infeliz do diabo;
Início do pagamento do salário de uma vida em santidade.
Para muitos a morte é o fim, para mim é apenas o início. Início de uma vida eterna.


"Pois para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro." Filipenses 1:21


14 de novembro de 2010

Instituto Mario Pena


No dia 11 de Novembro de 2010, eu, Bruna ( Bonequinha Rebeca) e Adriano ( Palhacinho Dri Dri) fomos ao Instituto Mario Pena. Devido à ocasião, estavamos bem apreensivos de como seriamos recebidos, como deveriamos agir, o que deveriamos falar e etc. Mas logo quando chegamos fomos desarmados. As pessoas que trabalham lá foram super gentis conosco, e nos fizeram sentir em casa, desde o porteiro até a diretora.
O mais interessante de tudo é que nós fomos com intenção de um púlico com crianças, e chegamos lá tinha uma única menina, a Ágata, e então mais um friozinho na barriga: o que falar pra adultos estando vestidos de boneca e palhaço?
Mas pra nossa supresa, eles estavam muito mais ansiosos do que trinta crianças juntas antes do natal. De 5 em 5 minutos a psicóloga, chegava até nós e dizia: " E ai? Vai demorar muito?" "Como estão as coisas?" "Eles estão me cobrando já, pra vocês passarem nos quartos!" E coisas desse tipo.
E então quando passamos no primeiro quarto, que havia
uma senhora, e ela olhou nos nossos olhos e disse: "Que bom que vocês vieram aqui, voltem mais vezes! Deus abençoe vocês", com as mais sinceras palavras, o meu coração já começou a saltar de alegria, e a cada minuto eu ficava mas alegre, por ter dado apenas uma tarde da minha vida, para trazer alegria em outras vidas. E daquele quarto em diante, não houve mais frio em nenhum barriga.
E o que mais valeu a pena, foi saber que o amor de Deus, em cada coração, estava sendo sentido. Por pior que fosse o motivo que eles estavam lá, sabiam que Deus estava com
eles, e que Ele nunca os abandonaria.
O que nós fizemos, foi apenas reforçar a mensagem de Jesus, pois alguns já conheciam, outros já tinham ouvido falar, e outros ficaram curiosos em saber de verdade como era a mensagem, a ponto de nos fazerem prometer que quando voltássemos, levássemos Bíblias pra eles, fofuras né?!
Cantamos, lemos a bíblia, conversamos, e rimos muito, até descobrimos
alguns talentos. Talentos que nem mesmo a
psicóloga (Márcia) conhecia como por exemplo o
figura "modelo caipira" da foto. Perguntei pra ele se ele era cruzeirence, ele disse que não, disse que era caipira mesmo, rsrs.
Conhecemos também, o músico Marcelo
que nos guiou tocando aquelas canções antigas, mas que nós nunca nos cansamos de cantar, como "Em espírito e em verdade" e outras.
O que eu quero que vocês entendam, é que independente de religião, não existe nada mais satisfatório que ver alguém feliz, e se sentindo amado. Mesmo que você não seja cristão, visite uma casa de apoio, asilo, orfanato e instituições desse tipo. Mesmo que você fique apenas 30min. com uma pessoa, você não faz ideia do quanto será bom pra você e pra ela. Falando em fazer bem a outras
pessoas, tinha uma senhora lá que não bebia água a vários dias, e com a ajuda dos nossos atores no fim do dia ela havia bebido dois copos com água. Viu? Algo simples, mas importante.




O que nós fizemos, não foi nada por nós. Fizemos tudo em nome do nosso Senhor, Jesus Cristo.