Blog Archive

Datos personales

Minha foto
Ester Corrone
Minas Gerais, Brazil
Escritora, blogueira de comportamento, moda e life style, apostando nas palavras e no que elas descrevem. Consultora de Imagem pela Closet Inteligente Consultoria (2013), Fotógrafa pela Escola de São Paulo e UFMG (2014), web designer por aspiração. Atualmente, cursando Marketing pela Universidade Anhembi Morumbi. Desenvolvedora de projetos e estratégias virtuais para a Closet Inteligente juntamente com Patrícia Marques, instrutura de cursos, atua nas mídias sociais e na produção de eventos da empresa. Empreendedora do ateliê Livre-se, um ateliê de artesanato com produtos inspirados em livros.
Visualizar meu perfil completo
30 de março de 2012

Na cabeceira - Água para Elefantes




                Água para Elefantes é um bom livro! Uma mistura de romance com pura ironia e um grande nível de adrenalina. Mas claro, de uma história sobre um circo, não dava pra ser muito diferente.

“Uma honra e um privilégio.”

Jacob Jankowski, se transforma em um velho rabugento, mas adorável. Mesmo após tudo o que viveu naquele circo pavoroso, não perdeu seu encanto e cavalheirismo e assume um fim ótimo! Achei perfeita a escolha pelo Robert Pattinson para o papel no filme, é a cara dele! Os outros artistas também foram bem característicos, na minha opinião. E falando no filme, achei uma pena elas não terem falado sobre a enfermeira Rosemary, doce Rosemary. Ela com certeza seria um daqueles personagens memoráveis que parecem permanecerem vivos, assim como se torna no livro.

“Oh, Senhor. Como vou sobreviver a saída dela?”

         Bom, uma leitura interessante. A autora Sara Gruen tem bastante imaginação. O que torna mais fácil (e presente) a descrição bem detalhada das situações, apesar dela usar e abusar de linguagem baixa em alguns/vários momentos. No começo, até fiquei assustada pela quantidade de cenas absurdas que a autora descreve (e que não aparecem no filme), mas ao longo do livro, tudo se acalma e volta parecer normal. Até que no fim, o livro volta a mostrar vestígios da linguagem inicial, mas depois, novamente, se controla.
Ao mesmo tempo em que me transmitiu curiosidade em viver uma experiência parecida à de um circo, me deu calafrios só de pensar no terror que seria acordar de manhã naquele trem terrível. Sei lá. Viajei. Muito.
Assumo que esperava um pouco mais, pelo fato dos livros serem sempre melhores que os filmes. Esse superou, mas não por muito. O filme se tornou tão bom quanto. Talvez não tenha me surpreendido tanto, pelo fato de não ter taaaaaanta coisa diferente (e a mais) como de costume. Enfim, acho que gosto tanto do filme como do livro. Sem preferências, eu acho.
          Ah, Rosie! Não posso terminar antes de falar dela: “Eu amo aquela Elefanta!” Ela é fantasticamente adorável! Por fim, assume um pouco de maldade, mas ainda assim, uma elefanta que dá vontade de ter em casa. Haha

            Então, isso é um pouquinho sobre o que eu achei desse livro. Volto a dizer, uma boa leitura, ora pesada ora suave, para mim, não tão surpreendente, mas boa.

            Leiam, tirem suas conclusões e me contem! :) 



8 de março de 2012

Para as mulheres


Mulheres que sempre estiveram sorrindo enquanto queriam chorar.
Mulheres que todos os dias sonham.
Mulheres que não suportam toalha molhada na cama.
Mulheres que adoram beijinhos, mimos e carinhos.
Mulheres batalhadoras, que lutam pelo seu futuro e mulheres que ainda irão escrever um.

Mulheres que nascem com o dom de ser mãe.
Mulheres que são capazes de encantar um ambiente apenas com sua presença e ternura.
Mulheres que souberam, e as que sabem aproveitar cada momento da vida.
Mulheres que permitem amar e serem amadas.
Mulheres que amam seus namorados, mas não despensa uma noite do pijama.

Mulheres que são adoráveis e verdadeiros docinhos.
Mulheres mais severas que mostram ser fortes, porém, sensíveis.
Mulheres que são as costelas que os homens estão procurando e as mulheres que já foram encontradas.
Mulheres que quando eram crianças, passaram batom e usaram as sandálias de salto da mãe.
Mulheres que são irresistíveis, por ter seu jeito exclusivo.

Mulheres que as vezes adoram se entupir de chocolate sem se preocupar com nada.
Mulheres que adoram ficar de pijama mas nao despensam um belo salto alto.
Mulheres que trazem doçura à sociedade.
Mulheres que tem o talento de ser amiga, irmã, filha, mãe, avó... em uma só pessoa.
Mulheres que sempre fazem a diferença, por mais simples que seja, simplesmente fazem.

Mulheres que cativam o outro enquanto precisam ser abraçadas.
Mulheres que pretendem criar uma família.
Mulheres sábias que edificam seus lares.
Mulheres preciosas como rubis.
Mulheres que são incríveis, apenas por serem mulheres!


À todas essas mulheres, uma singela homenagem.
De mulher pra mulher, Feliz Dia Internacional da Mulher, suas lindas!



Ester Corrone.